Divulgação

O Corpo de Bombeiros Militar de Santa Catarina e o SAMU, atenderam em conjunto ocorrência na divisa de Blumenau e Indaial, na região do Faxinal do Bepe, por volta das 17h30min desta sábado (30). Foram deslocados para o atendimento o Arcanjo-03, uma Ambulância e um caminhão dos Bombeiros, e uma viatura de resgate 4×4 dos Bombeiros.

No local tratava-se de veículo caído em ribanceira, cerca de 50 metros abaixo da estrada de barro. Segundo informações de familiares e amigos, a vítima estava em uma festa no dia anterior, sendo que foi visto pela última vez no início da madrugada. Entre a última vez que foi visto e o acionamento da equipe de socorro, o indivíduo encontrava-se desaparecido, possivelmente, caiu na grota quando saiu da festa por volta das 2h da madrugada.

As equipes, após chegada no local, iniciaram os procedimentos de resgate. Inicialmente, foi realizado o gerenciamento de riscos e isolamento do local, em concomitante, um socorrista do Corpo de Bombeiros obteve acesso à vítima, utilizando de técnicas de salvamento em altura, o resgatista, Sd Cailoux, fez um rapel até o local. Localizando a vítima, reportou à equipe que encontrava-se na superfície (zona morna) qual era a situação do paciente e quais materiais seriam necessários para realização da intervenção mais adequada.

Devido ao capotamento, a vítima foi ejetada do veículo e pressionada contra o barranco e o automóvel que pesa aproximadamente uma tonelada. A região pélvica do paciente encontrava-se pressionada pelo barranco e pela coluna frontal do veículo, que encontrava-se lateralizado no terreno.

A operação era complexa e exigia uma ação rápida e eficaz das equipes envolvidas, visto que estava escurecendo e com o frio havia o risco de hipotermia do paciente, situação que certamente agravaria seu quadro. Inicialmente, o paciente encontrava-se tranquilo, estava consciente e orientado, conseguia conversar com as equipes. Após o primeiro acesso e o repasse das informações, a equipe que encontrava-se na parte superior da ribanceira definiu a estratégia de resgate a ser utilizada.

Nesse sentido, mais quatro profissionais realizaram o rapel a fim de adentrar na zona quente do sinistro (local que encontrava-se o paciente), sendo um médico do SAMU integrante do Arcanjo, um tripulante operacional dos Bombeiros e dois resgatista dos Bombeiros, sendo que levaram consigo os materiais pré definidos para o resgate: bolsa de medicamentos e intevenção médica, estabilizadores veicular, bolsa de procedimento pré-hospitalar e maca de ribanceira para imobilização e extração.

No decurso da ação realizada pela equipe que encontrava-se na zona quente, o por do sol iniciava, sendo que a aeronave Arcanjo-03 teve que retornar para sua base, visto que o local era restrito, inviabilizando um voo noturno.

Contudo, parte da equipe ficou no local, a equipe médica (médico e enfermeiro) e um tripulante operacional. Com a ponte do sol, foi necessário a intervenção com lanternas e torres de iluminação, visto que o local era no meio da mata e não havia iluminação pública. Fator este que tornou a operação mais complexa. A operação de extração do paciente era delicada, visto que em decorrência da compressão pelvica, poderia haver lesões graves de fratura e hemorria interna, ou mesmo a ocorrência da Sindriome do Esmagamento (A Síndrome de Esmagamento é descrita como um conjunto de manifestações sistêmicas resultantes da lesão à célula muscular devida a pressão ou esmagamento, estas ações mecânicas provocam inicialmente isquemia), sendo que sua remoção inadivertida poderia comprometer seu estado atual, agravando seu quadro clínico e levando até a morte em poucos minutos.

Após cerca de 2 horas e sua estabilização, foi realizado o içamento do automóvel, para tanto, fora utilizado o equipamento guicho da viatura de resgate 4×4, dessa forma, a equipe que encontrava-se na zona quente realizou os procedimentos de imobilização e preparação do paciente para extração. Em conjunto e coordenados, a equipe da zona quente e da zona morna iniciaram o procedimento de içamento do paciente para superfície.

Para este procedimento, foi utilizado a maca de ribanceira e realizado o tracionamento pelo guincho elétrico da viatura, sendo que as equipes axiliavam na condução da maca durante todo o percurso até a zona morna. Chegando na superfície, o quadro clínico do paciente começou a se agravar, sendo que foi necessário a realização de suportes avançados para sua estabilização, o Dr Renann, médico do SAMU, com auxilio da equipe, realizou a intubação do paciente para melhora da sua saturação (oxigenação sanguínea) e aplicou alguns medicamentos para estabilização do sinais vitais.

Após procedimentos protocolares dentro da ambulância do Corpo de Bombeiros, as equipes conduziram o paciente até o Hospital Santa Isabel onde a vítima receberá o tratamento definitivo, a ambulância chegou por volta das 21h30min no hospital.

Agora é só aguardar e torcer para sua reabilitação.

Ainda, esteve no local um viatura da guarda de trânsito de Blumenau que auxiliou na sinalização é isolamento do local. A ocorrência ora narrada trata-se de uma operação complexa, a qual exige um conjunto de fatores para o sucesso da operação, desde equipamentos adequados, equipe tecnicamente habilitada, materiais específicos, comunicação e informação adequada, preparação física e psicológica das equipes, até a padronização de procedimentos e integração dos órgãos de resgate, o que vem ocorrendo atualmente no estado de Santa Catarina entre o Corpo de Bombeiros Militar e o SAMU.

Certamente, essa atuação em conjunto, unindo esforços, foi e será essencial para uma prestação de serviço cada vez mais eficiente, proporcionado para a sociedade catarinense um atendimento rápido, eficaz e de qualidade.

Comentários

comentários