Eduardo Schäffer / Divulgação

Quem hoje conhece a Costa Verde & Mar (SC) não imagina que a região já foi palco de diversas histórias que envolvem piratas, tesouros, bruxas, contos de amor entre indígenas e viajantes, um boi de pano que ganhou vida, entre tantas outras. Estas lendas, que para muitos não passam de boas verdades, ainda podem ser encontradas no cotidiano dos municípios da região:

Piratas: antigos moradores da Costa Verde & Mar relataram que diversos piratas passaram pela região, mas poucos deixaram registros oficiais, como o inglês Thomas Cavendish, que teria escolhido por aqui um abrigo em 1591 após realizar roubos em Santos (SP);

Naufrágios: assim como o registro de passagem de piratas, não há muitos dados oficiais de naufrágios na região. Um dos mais populares é o conto do Cargueiro Lili que teria vindo à pique em 1957 e deixou um acervo histórico importante que está exposto em diversos museus da Costa Verde & Mar;

Tesouros: com tantos piratas circulando pela região, são inúmeras as histórias sobre suas riquezas que ficam escondidas no Litoral. Há contos que envolvem um navio Espanhol do início do século 19, quando a tripulação enterrou um caixão na areia da praia, forjando um sepultamento, quando na verdade, se tratava de uma caixa repleta de ouro e prata;

Anjo de ouro: há também a lenda de que pessoas enterraram sob uma rocha uma estátua com um anjo de ouro, do tamanho de um homem adulto. Segundo os contos, as inscrições rupestres encontradas entalhadas nas pedras são na realidade um mapa para encontrar o objeto que estaria enterrado até os dias atuais;

Bruxas: moradores garantem que já viram bruxas na região. Afirmam que quando elas são descobertas se transformam em pássaros, borboletas e outras aves. Há aqueles que contam que elas têm se aproximam de bebês e crianças em busca em busca da juventude, e que a proteção dos pequenos deve ser feita com remédios que contenham alho.

Sete mulheres: esta história também engloba os contos das bruxas na Costa Verde & Mar. Antigos moradores acreditam que é inevitável que exista uma bruxa em uma família composta por sete mulheres, sem que haja um homem entre elas. Para evitar a situação, a irmã mais velha deve batizar a mais nova e lhe dar o nome de Benta.

Ilhas Itacolomi: este é um conto de amor. Açauna, filha do chefe da tribo Carijó, encontrou um náufrago machucado e lhe deu cuidado. Eles se apaixonaram, mas ela era prometida ao chefe Botocudo que descobriu a situação e iniciou uma briga entre as tribos. Açauana e o náufrago tentaram fugir nadando, mas desapareceram. No dia seguinte, dois rochedos surgiram no mar como se representassem o casal.

Boi de mamão: a brincadeira açoriana surgiu a partir da história da gestante Catarina que acordou em uma noite com desejo de comer língua de boi. Seu esposo, o agricultor Chico, cortou a língua do único animal da fazenda. Então, a cozinheira Márcia ficou com pena do animal falecido e lhe costurou uma língua de tecido. Como mágica, o animal ganhou vida e se tornou um boi de tecido muito brincalhão.

Comentários

comentários