Divulgação

As pesquisas eleitorais retrataram uma realidade que não existiu em Santa Catarina. O Instituto MAPA conseguiu a façanha de errar, inclusive, a pesquisa boca de urna, pesquisa que é realizada no dia da eleição. E não foi apenas um “errinho”, foi um “errão”.

Segundo a pesquisa que foi encaminhada um pouco antes das 19h para a imprensa, Mauro Mariani, que ficou fora do segundo turno com 23,21%, estaria em primeiro com 26,3%. Além do resultado ter ficado fora da margem de erro de 2%, Mariani chegou em terceiro.

O erro foi ainda maior com os resultados de Gelson Merisio e Comandante Moisés. O candidato do PSD foi para o segundo turno com 31,12%, mas segundo a pesquisa boca de urna do Instituto MAPA, ele teria 24,2%. Um erro de mais de 7%. Já o candidado PSL, que aparecia em 4º lugar, com 14,7% na pesquisa, chegou ao segundo turno com surpreendentes 29,72%. Um abissal erro de 15%.

Nem o resultado do candidato do PT, Décio Lima, chegou perto. Com 18,9% na pesquisa, no “mundo real” teve 12,78%.

Seja qual for a metodologia usada nesta pesquisa, falhou, e falhou feio.

IBOPE FALHOU MISERAVELMENTE

Um dos mais respeitados e renomados institutos de pesquisa também falhou miseravelmente em Santa Catarina. Na pesquisa contratada pela NSC, realizada entre os 3 e 5 de outubro, às vésperas das eleições, o IBOPE apontou que Mauro Mariani teria 25% dos votos, Merisio 23%, Decio Lima 19% e Comandante Moises 9%. A margem de erro era de 3 pontos percentuais e o nível de confiança de 95%.

Comentários

comentários