(Divulgação)
(Divulgação)

A Universidade do Vale do Itajaí (Univali), em parceria com o Laboratório Nacional de Biociências (LNBio) do Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM) e outros centros de pesquisa do país, tiveram proposta aprovada para a implantação de um Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia (INCT) focado em pesquisas translacionais para descoberta de medicamentos voltados para doenças negligenciadas.

Kleber Franchini, do LNBio/CNPEM e da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), coordenará as pesquisas do Instituto em São Paulo, e Valdir Cechinel Filho, vice-reitor e pesquisador do Programa de Pós-graduação em Ciências Farmacêuticas da Univali, responderá pelas pesquisas em Santa Catarina. A Univali receberá cerca de R$ 750 mil para a realização das pesquisas e ficará responsável pela bioprospecção de produtos naturais e substâncias sintéticas.

A proposta foi aceita na chamada de nº 16/2014 do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), passou pela avaliação de pelo menos três consultores internacionais e pelo Comitê Julgador. Ela ficou entre os 252 projetos que receberam recomendação positiva no processo de análise de mérito técnico científico para financiamento. Os principais critérios utilizados no julgamento das propostas apresentadas à chamada foram: envolver os 115 institutos já existentes e as 230 propostas de criação de novos institutos.

Doenças negligenciadas

As doenças negligenciadas são tratáveis e curáveis, consideradas endêmicas principalmente em populações de baixa renda. Estas enfermidades são causas de morbidade e mortalidade em todo o mundo, os indicadores relacionados ainda são inaceitáveis, com investimentos reduzidos em pesquisas, produção de medicamentos e controles. A malária, doença de Chagas, doença do sono, leishmaniose visceral, filariose linfática, dengue e esquistossomose são exemplos de doenças negligenciadas.

Comentários

comentários