Ronaldo Amboni/Divulgação

A Secretaria da Agricultura e da Pesca atuará como parceira na preservação do boto pescador e no combate à pesca ilegal. Nos últimos anos, botos residentes do Complexo Lagunar Sul em Laguna foram vítimas das redes de emalhe, utilizadas de forma ilegal na região. A equipe da Secretaria e representantes do Instituto Ambiental Boto Flipper estiveram juntos nesta quinta-feira, 7.fev.2019, em Florianópolis, para discutir o assunto.

Segundo o Instituto Ambiental Boto Flipper, no último ano, 10 botos foram mortos devido ao uso indevido de redes de pesca de emalhe, utilizadas principalmente para capturar bagres. “Não vamos tolerar esse tipo de coisa. Queremos criar um grupo de trabalho, mobilizar a comunidade e fiscalizar os pescadores de infringirem a lei. Vamos tratar do problema de forma mais sistêmica e a população será nossa parceira nesse processo”, destaca o secretário Ricardo de Gouvêa.

O boto pescador é considerado patrimônio natural de Laguna e contribui para o desenvolvimento da pesca na região. A chamada pesca artesanal colaborativa é a união perfeita do homem e da natureza – os botos conduzem os cardumes de tainha até as redes dos pescadores, que então fazem a captura dos peixes.

O objetivo é melhorar o monitoramento da realidade da educação em Santa Catarina, para agilizar a tomada de decisões e as ações necessárias.

Posted by Click Catarina on Thursday, February 7, 2019

Comentários

comentários