Divulgação

Uma gestão participativa, com transparência, inovação e voltada para resultados. Com este propósito, o novo secretário, Lucas Esmeraldino, assume a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável e Turismo. A solenidade ocorreu nesta quarta-feira, 02, no gabinete do governador, Carlos Moisés da Silva, juntamente com a vice, Daniela Reinehr e demais secretários.

Debruçados sobre os programas e ações da secretaria há pelo menos 25 dias, desde que foi convidado a assumir o cargo, Esmeraldino e sua equipe mapearam os principais pontos fortes e definiram estratégias que irão nortear a nova gestão.

Estruturadas em cinco pilares estratégicos, as ações têm como missão de potencializar e dar visibilidade aos programas existentes. Na visão do novo secretário, a secretaria e suas áreas vinculadas, terão um papel fundamental frente ao desenvolvimento econômico e turístico de Santa Catarina.

Cinco são os pilares estratégicos: modelo de governança e transparência; acompanhamento de projetos e programas; identidade e apresentação visual; potencialização dos programas de atratividade de investimentos e dinamização de processos.

“Com inovação e uso da tecnologia vamos construir uma gestão participativa, transparente e voltada para resultados que serão permanentemente mensurados, acompanhados de perto”, destacou o secretário.

A SDS que atua em três principais frentes: inovação e tecnologia; empreendedorismo e meio ambiente, agregou também o setor turístico do Estado. Estão sob o guarda-chuva da secretaria programas como Juro Zero, SC Mais Energia, SC Bem Mais Simples, Gestão de Recursos Hídricos e Sólidos e a implantação dos Centros de Inovação.

“A ideia é dinamizar os processos, fazendo o uso da tecnologia e inovação, para desburocratizar os entraves e ampliar a atração de negócios, bem como, a expansão das atividades econômicas instaladas em Santa Catarina, fomentando o desenvolvimento e atraindo investidores para o Estado. O setor produtivo e o trade turístico têm um papel fundamental na ampliação de investimentos e atratividade catarinense. Queremos incentivar a indústria moderna, jovens talentos, tecnologia, e a internacionalização do Estado”, destaca Esmeraldino.

A SDS tem ainda uma importante capilaridade no Estado por meio de suas vinculadas: o Instituto do Meio Ambiente (IMA), Instituto de Metrologia de Santa Catarina (IMETRO), Junta Comercial de Santa Catarina (JUCESC), Centro de Informática e Automação do Estado de Santa Catarina (CIASC), Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc), Agência de Regulação de Serviços Públicos de Santa Catarina (ARESC) e Santa Catarina Turismo (Santur).

Entre as medidas tomadas para corte de custos estão o corte de 922 cargos comissionados e funções gratificadas.

Posted by Click Catarina on Friday, January 4, 2019

Comentários

comentários